Prefeitura de Arujá
Antitabagismo: Saúde oferece tratamento
28-08-2018
Os arujaenses que desejam abandonar o hábito de fumar podem contar com o auxílio do programa municipal antitabagismo. A Secretaria de Saúde de Arujá oferece gratuitamente este serviço, que é realizado no Ambulatório de Saúde Mental (CAPS) da cidade.

O tratamento acontece em três etapas. Na primeira, há uma reunião semanal, às terças-feiras, durante um mês. Já na segunda fase, são realizados dois encontros quinzenais. Na terceira, há doze meses de acompanhamento com uma reunião mensal. O uso de medicamentos é feito quando recomendado pelo médico.

A equipe multidisciplinar do programa antitabagista, que existe há quatro anos em Arujá, é composta por médicos, psicólogos, enfermeiros e assistentes sociais, e atende cerca de 200 pacientes por ano. Atualmente, 18 pessoas são assistidas pelo programa.

O tratamento contra o tabaco faz parte do Programa Nacional de Controle do Tabagismo do Sistema Único de Saúde (SUS), coordenado pelo Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde.

Combate ao Fumo

29 de agosto é marcado como Dia Nacional de Combate ao Fumo. A data foi instituída em 1.986, pela Lei nº 7.488, com o objetivo de conscientizar e mobilizar a população sobre os riscos do consumo do tabaco. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no planeta.

O cigarro, assim como outros derivados do tabaco, não possui uma quantidade segura de consumo. Somente na fumaça desse produto, por exemplo, são encontradas mais de 4.700 substâncias tóxicas, algumas inclusive cancerígenas. O alcatrão e a nicotina são exemplos dessas substâncias maléficas ao organismo.

O tabagismo pode desencadear cerca de 50 problemas de saúde, como infarto do miocárdio, enfisema pulmonar, Acidente Vascular Cerebral Encefálico (AVCE), câncer de pulmão, traqueia, laringe e brônquio, impotência sexual no homem, infertilidade da mulher, hipertensão e diabetes.

Vale ressaltar que, após interromper o uso do cigarro, o indivíduo pode recuperar-se dos danos causados pelo fumo, ou seja, os prejuízos ao organismo podem ser remediados. Estima-se que após aproximadamente um ano sem fumar os riscos já comecem a diminuir.

Inscrição

Os interessados em participar do tratamento devem dirigir-se ao Ambulatório de Saúde Mental na Rua Prestes Maia, nº 76, na Vila Riman. Outras informações no 4655-1550.
Veja também